Marcel Ostertag

A paixão nunca sai de moda.

Com a dança, aprendi muito sobre disciplina e isso também teve impacto no meu trabalho como designer de moda. Acredito que, mesmo com tudo o que se passa na nossa vida, é importante focarmo-nos nos nossos sonhos. Sonhei com o mundo da moda e segui esse sonho, apesar de ter outra carreira: tinha de o fazer.

Para mim, é muito importante poder viver a vida com os olhos sempre bem abertos. Uma grande parte da minha inspiração vem daquilo que vejo nas ruas de Berlim. Mas o design de moda é mais do que só inspiração. Mais do que paixão, precisa de treino.

"Crio o que quero e como quero"

Eu desenho tudo e ponho a mão em todos os meus projetos, numa forma muito tradicional. Para mim, é quase como que uma meditação e não teria este efeito se usasse um computador.

No que se refere aos materiais, sou uma pessoa extremamente exigente. É por isso que gasto sempre bastante tempo nas exposições de tecidos: faz toda a diferença. A qualidade é decisiva se queremos que os nossos clientes tenham uma boa aparência e, acima de tudo, que se sintam também bem.

Também tenho uma obsessão pelos detalhes. Isto é muito importante para mim porque são os detalhes que tornam as minhas coleções intemporais. Não trabalho apenas para nichos de mercado, como talvez se possa pensar, dados os números limitados de cada coleção. Trabalho para aqueles que apreciam a qualidade e a atenção ao detalhe e para as pessoas que gostam de usar algo diferente, que só alguns podem ter.

O meu trabalho traz-me uma enorme satisfação na vida. Quando recebo uma peça terminada do costureiro, deve ser a mesma sensação de um escultor a olha para a sua peça terminada.

Fui eu que a desenhei, fui eu que escolhi os tecidos e que criei os padrões – e, depois, vejo como tudo se junta e ganha vida. Esta é a minha paixão, a minha vida e a minha arte.